quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

FOTOS CLASSIFICADAS NO I CONCURSO DE FOTOGRAFIA

1º Lugar: "Uma visão parcial do Aguaí" de André Luiz Mazzorana

2º Lugar: "Beleza Oculta" de Jéssica Kestering Ribeiro

3º Lugar: "Flores d'água" de Cristiano Cancelier

Autores das fotos classificadas

Acadêmicos com classificados



sexta-feira, 2 de setembro de 2011

I Concurso de Fotografia

I CONCURSO DE FOTOGRAFIA DA ALASI
ACADEMIA DE LETRAS E ARTES DE SIDERÓPOLIS
REGULAMENTO
Siderópolis, 1 de setembro de 2011.
A ALASI (Academia de Letras e Artes de Siderópolis) torna pública a abertura de inscrições e convoca os interessados a participarem do I CONCURSO DE FOTOGRAFIA DA ALASI.
DO CONCURSO
Art. 1º. O concurso tem por finalidade levar a sociedade a refletir sobre o meio ambiente, relacionando-o com a ética e o convívio social bem como incentivar e expressar, por intermédio de imagens e material fotográfico, a natureza do lugar onde vivem.
DO TEMA
Art. 2º. O I Concurso de fotografia da ALASI traz como tema central: “Câmera na Mão e Olho na Natureza de Siderópolis”.
DAS INSCRIÇÕES
Art. 3º. Poderão inscrever-se no I Concurso de fotografia da ALASI brasileiros e estrangeiros residentes no Brasil, com seguintes requisitos:
- pessoas de ambos os sexos
- idade acima de 15 anos;
-residentes no município de Siderópolis ou não; porém desde que comprovem documentalmente vínculo afetivo ou de parentesco com o município;
- não ser fotógrafo profissional ativo ou inativo.
- é imprescindível que as fotos sejam produzidas dentro do município de Siderópolis.
3.1. A prova documental, descrita no Art. 3º, poderá ser exigida a qualquer tempo no decorrer do concurso, caso o vínculo afetivo ou de parentesco com o município de Siderópolis for posto a prova.
3.2. O trabalho deverá ser individual, vedada à coautoria.
3.3. Cada autor poderá participar com uma ou duas fotos originais, que deverão ser impressas e ampliadas (em papel fotográfico brilho, sem borda ou moldura) no tamanho de 20 cm x 30 cm. Com a fotografia ampliada, deverá ser entregue o arquivo digital da imagem, com a resolução de 300 dpi e com o tamanho do arquivo de no mínimo 1 MB (um megabyte).
3.4. As fotografias poderão ser produzidas apenas com equipamento digital.
3.5. Serão admitidas fotos capturadas por telefone celular, desde que a foto seja compatível com o formato descrito no Art. 3º.
3.6. Não serão aceitas imagens manipuladas e/ou alteradas manual ou eletronicamente, nem montagens, colagens ou qualquer outro meio que altere a imagem original.
3.7. Para garantir o item 3.6, as fotografias serão minuciosamente analisadas por profissionais da área de fotografia e manipulação de imagens. Se for constatada qualquer violação ao item 3.6, a fotografia será automaticamente desclassificada.
3.8. Não serão aceitas fotografias de natureza apelativa ou destrutiva.
3.9. Não serão aceitas fotografias que já tenham sido, em quaisquer instâncias, premiadas até a data de inscrição neste concurso.
DO PRAZO PARA AS INCRIÇÕES
Art. 4º. A ficha de inscrição e o regulamento estarão disponíveis no período de 1/9/2011 a 20/9/2011, nos seguintes locais:
a)      Fernando Augusto Fotografia – Avenida Presidente Dutra, nº 210 – Siderópolis (SC) CEP: 88860-000;
b)     Foto Rocha – Rua José do Patrocínio, nº. 27 – Siderópolis (SC) – Edifício Francy, sala 3 - CEP: 88860-000;
c)      Escolas Estaduais, Municipais e Particular.
d)     Sidera Jornal (http://www.sidera.com.br/)
e)      Blog da ALAS (http://www.alasisidera.blogspot.com/)
4.1. Posterior à data da inscrição o participante deverá entregar o material fotográfico descrito no Art. 5º de 1/10/2011 a 15/10/2011 somente em um dos endereços citados no Art. 4º, letras a e b.
4.2. Só serão aceitos os trabalhos entregues dentro do prazo estipulado.
4.3. A inscrição estará efetivada a partir do recebimento do material pela subcomissão do concurso.
4.4. Para as fotografias entregues diretamente no endereço citado, o participante deverá assinar o comprovante de recebimento.
Art. 5º. A inscrição será realizada de acordo com os seguintes procedimentos:
a) Após retirada nos endereços citados no artigo 4º, a mesma deverá ser preenchida nos seguintes campos:
- nome completo do autor da foto e pseudônimo;
- endereço completo;
- números da cédula de Identidade e CPF do autor ou responsável;
- data de nascimento;
- título da fotografia;
- telefone de contato;
- e-mail.
b) O verso da fotografia deverá conter os dados abaixo, escritos com caneta de retroprojetor para não danificar  nem marcar a fotografia à disposição nos locais das inscrições:
- pseudônimo do autor da foto;
- título da foto;
- telefone do autor;
- local em detalhes e data de captura da imagem;
- vedada qualquer menção quanto à autoria.
5.1. A ficha de inscrição previamente preenchida e o material fotográfico serão acondicionados em envelope que será lacrado pelo (a) participante do concurso e entregue ao atendente do estabelecimento descrito no Art. 4º (letras a e b) onde será rubricado por ambos.
DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
Art. 6º. No julgamento serão considerados os seguintes quesitos: criatividade, estética, qualidade artística, pertinência com o tema proposto, técnica aplicada, luz, enquadramento, cor e a mensagem transmitida pelo fotógrafo, porém, sem deixar de levar em conta o caráter amador do concurso.
DO JULGAMENTO
Art. 7º. As fotografias serão avaliadas por Comissão Julgadora a ser designada pela presidente da ALASI e comissão organizadora, que também estabelecerá o prazo para a conclusão dos trabalhos de julgamento.
7.1. Concluídos os trabalhos da comissão julgadora e divulgados os resultados do concurso, essa será automaticamente extinta.
Art. 8º. A comissão julgadora é soberana em suas decisões, às quais não caberá qualquer espécie de recursos.
DA VISITAÇÃO
Art. 9º. A exposição de todas as fotos do I Concurso Fotográfico para visitação pública acontecerá de 20 a 22 de outubro, das 9h30min às 11h30min e das 14h00min às 20h30min, no Siderópolis Clube.

DA PREMIAÇÃO
Art.10. A divulgação do resultado e a entrega dos prêmios ocorrerão no dia 22 de outubro de 2011, às 20h30min, no Siderópolis Clube, Rua Presidente Dutra – Centro,
com a presença dos participantes ou seus representantes, convidados e público em geral.
Art.11. O concurso conferirá três prêmios, a saber:
11.1 - Um notebook para o vencedor (a) do primeiro lugar;
11.2 - Uma câmera digital para o vencedor (a) do segundo lugar;
11.3 - Um banner com a foto vencedora do 3º lugar de 90 x 120 cm.
Art.12. Em nenhuma hipótese os prêmios serão fracionados, devendo a comissão julgadora, por unanimidade ou por maioria, decidir-se por uma obra concorrente em cada colocação.
Art.13. Os prêmios serão entregues aos autores vitoriosos, ou a seus representantes.
Art.14. Serão selecionadas, conforme qualidade artística e interpretação do tema abordado ao concurso, as 12 (doze) melhores fotografias, sendo que as 3 (três) primeiras colocadas receberão premiação de acordo com o Art. 11º e as demais em numero de 9 (nove), seus autores receberão Menção Honrosa.

DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
Art.15. A divulgação do Concurso ficará a cargo da ALASI (Academia de Letras e Artes de Siderópolis), imprensa e sites locais.
Art.16. Todos os participantes do concurso asseguram desde já que são detentores dos direitos autorais patrimoniais pertinentes à sua respectiva obra, sendo que somente as 12 (doze) fotos selecionadas de acordo com o Art. 14, seus autores deverão ceder os direitos autorais das imagens contidas nos arquivos digitais apresentados no concurso, para utilização institucional da ALASI, para usos na valorização e divulgação dos aspectos da paisagem natural do Município.
16.1 - As fotografias inscritas serão devolvidas com seus respectivos arquivos digitais, a partir do dia 24/10 no Foto Rocha e Fernando Augusto Fotografia.
Art.17. A participação no concurso implica integral aceitação deste edital. O desrespeito às suas disposições acarretará exclusão do concorrente.
Art. 18. Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão Julgadora.
Art.19. Todo evento bem como as fotos classificadas estarão disponíveis no blog da ALASI (alasisidera.blogspot.com),  imprensa local e sites.

Parágrafo único: A comissão organizadora desse concurso é composta pelos acadêmicos: Irene Cancelier e Maria Pedrinha F. Fernandes. Colaboradores: Maria Lurdete Da Boita Bez Birolo, Dilma Zuchinalli, Rosilda R. Moroso, Nilso Dassi, Elaine Cristina Machado e Gisele Marques

I CONCURSO DE FOTOGRAFIA – ALASI 2011
“Câmera na mão de olho na natureza de Siderópolis”
FICHA DE INSCRIÇÃO

NOME COMPLETO DO AUTOR DA FOTO

PSEUDÔNIMO

ENDEREÇO COMPLETO


IDENTIDADE

CPF

DATA DE NASCIMENTO

TÍTULO DA FOTOGRAFIA

TELEFONE DE CONTATO

E-MAIL

OBS: A participação no concurso implica integral aceitação do edital
contido  no regulamento. O desrespeito às suas disposições acarretará exclusão do concorrente (Regulamento art. 17).



quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Homenagem Póstuma à Gentil do Orocongo

Músico catarinense que manteve a tradição de instrumento milenar por 40 anos.

Gentil Camilo Nascimento Filho, o Gentil do Orocongo, nasceu em Siderópolis em 1945, foi para Florianópolis ainda na infância morar na comunidade de Mont Serrat (conhecido como morro da bica d’água). Dedicou-se à pesca e apaixonou-se pelo som que vinha da casa vizinha, onde morava Raimundo, filho de um cabo-verdiano (do arquipélago africano de língua portuguesa). Era o orocongo. Gentil, que nunca estudou música aprendeu com Raimundo a tocar de ouvido e a fazer o próprio instrumento. Fabricou um orocongo a partir do repenique a pedido da Escola de Samba Copa Lord. Gentil trabalhava como vigia numa escola básica estadual, na sua comunidade no Morro Antão.

Quando não estava trabalhando na escola, tocava seu orocongo, um instrumento de origem africana, conforme o músico Marcelo Muniz, diretor de Música da Fundação Catarinense de Cultura, "o orocongo se propagou pela África junto com a religião islâmica, mas não deu origem a nenhum instrumento moderno por ser muito sensível: rico em microtons sem sons intermediários". Marcelo afirma ainda que há pelo menos mais duas variações da denominação do orocongo: urucungo, no Nordeste (em iorubá significa "existe nele um buraco" e é o nome antigo do berimbau), e até aricongo, em Florianópolis.

O som do orocongo assemelha-se ao choro humano. Na forma, parece um violino rústico, com apenas uma corda, tocado por um arco e apoiado na altura do diafragma, o orocongo é confeccionado com a casca de coco ou com o fruto do porongo (também conhecido regionalmente por catuto). O braço é de madeira. Originalmente, a corda do arco era feita de crina de cavalo, e a do instrumento, de tripa. Cada orocongo é único, pois tem uma afinação distinta devido à forma de fabricação.

Gentil tirava todo o tipo de música do orocongo. Seu repertório valorizava as canções locais ­ "Rancho de Amor à Ilha", de Zininho, e "Vou Botar Meu Boi na Rua", do Engenho ­, passa por "Asa Branca", de Luiz Gonzaga, e vai até as origens com as modinhas que aprendeu com o vizinho: "Ah, ah! Fruta do conde/ castanha do Pará/ a fruta que eu mais gostava/ que nesta terra não há". O repertório de Gentil do Orocongo era baseado na tradição oral das músicas de roda, do Terno de Reis, o Cambucí, Décimas, Xote, Baião e músicas da cultura açoriana. Gentil disse uma vêz em um evento do SESC: "É uma satisfação a gente persistir por 40 anos num instrumento meio esquecido e de repente ser reconhecido".



Na década de 80, Gentil tocou seu orocongo para a gravação de um CD-ROM "Vozes do Brasil", da editora Ática, e o som plangente do instrumento abre a faixa-título do disco "Vou Botar Meu Boi na Rua", do grupo Engenho. Em 2003, O músico foi a atração de mais uma temporada do Circuito Catarinense de Música, promoção do Serviço Social do Comércio (Sesc).

Em 2006, na terceira etapa do projeto Sonora Brasil do Sesc em Pernambuco, o músico Gentil do Orocongo e seu Conjunto, participaram do evento como atração musical e gravaram um cd na cidade. No mesmo ano, o público catarinense teve a oportunidade de ver Gentil do Orocongo, mais uma vez, tocando na programação inaugural do Espaço Cultural Embratel, no tributo a Cruz e Sousa. O instrumentista era o único brasileiro que tocava o orocongo, o que tem lhe garantiu convites para se apresentar por todo o país com a inclusão do projeto: Documentos Sonoros do Instituto Itaú Cultural.


Gentil do Orocongo no Calçadão da Felipe Schimidt. Seu CD "Cantando e contando histórias" produzido por Daniel da Luz do Iriê foi lançado em 2006 pela Iriê Produtora.
No ano de 2007, O cineasta Lur Gomez cruzou nas ruas de Floripa com aquela figura tão particular, conhecida por Gentil do Orocongo, tirando sons daquela única corda. Viu aquele homenzinho tocando na Felipe Schmidt e decidiu fazer um documentário sobre a fabricação e o som do orocongo.
No dia 19 de novembro de 2009, morre aos 64 anos, devido complicações por causa da Diabete. Gentil passou um período internado, recebeu alta e foi para casa onde veio a falecer. Sua morte deixou o mundo da música mais triste, foi velado na comunidade onde morava. Amigos e conhecidos se despediram dele no Dia da Consciência Negra, na igrejinha de Nossa Senhora do Mont Serrat, O enterro aconteceu no cemitério do Itacorubi.

O Brasil perdeu uma figura impar de SC, que ficava com seu exótico instrumento, no Mercado Público, nas suas cantorias que eram um misto de africanas e açorianas, que contavam a  história da sua vida e da sua música.
FONTE:
http://www.floripacultura.com

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Poesia - Homenagem 120 anos Siderópolis




Cidade de Siderópolis/SC
Siderópolis, minha terra!
 Maria Lurdete Da Boita Bez Birolo
No início Nova Belluno
Trazendo um pouco da Itália
Deixaram marcas profundas
E uma historia que marcha.

Riquezas aqui se percebe
Banana, milho, feijão...
Resicolor, Ino, Olivo, Tubozam, Entec...
E a grande fonte, o carvão.

Na cultura, quanto orgulho!
Tantos filhos já formou
Mostrando que na força do estudo
Muitas vidas transformou.

O Valdo na seleção
Tambem o Brasil representou
Em 90, com emoção
Da copa,  participou.

Patrono da Academia, Aldo Baldim
Na historia da cidade, canta
Deonisio da Silva, para a ALASI
Como presidente de honra, encanta

E como obras de fé
Anunciaram é verdade
Os Orionitas no carisma
Ressaltando a caridade.

E a querida Siderópolis
Prossegue na tradição
Na fé e na cultura bendiz:
Tambem orgulho a nação!


quinta-feira, 7 de julho de 2011

Resultado do I Concurso de Crônicas

          
I CONCURSO DE CRÔNICAS “MADALENA QUELUZ PATEL”
Tema: “Siderópolis, 120 anos de colonização”
         
O I CONCURSO DE CRÔNICAS “MADALENA QUELUZ PATEL”, foi lançado neste ano em que comemoramos os 120 anos de colonização, com a finalidade de estimular a produção literária junto à comunidade e às escolas, motivando a escrita de crônicas.
Fizemos uma homenagem para Madalena Queluz Patel para lembrarmos com carinho da primeira professora da nossa cidade.
Agradecemos a participação de todos neste concurso e convidamos os  Sideropolitanos e Trevisanos, para participarem do evento de premiação, que acontecerá, no dia 18 de julho às 19 horas no Siderópolis Clube. Logo após a premiação, acontecerá a palestra do professor Antonio Biz, com o tema “Siderópolis, Você nasceu para brilhar”.
CLASSIFICAÇÃO ESCOLAS
1º LUGAR - COLÉGIO DOM ORIONE
 “O Surgimento de Nosso Paraíso” - ARINE PETRY OLIVEIRA

1º - LUGAR ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MUNICIPAL JORGE BIF
 “Como Era Siderópolis Antigamente” - LILIAN VITALI

1º - LUGAR DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MUNICIPAL MIGUEL LAZZARIN
“Siderópolis” - Jionathan Carlos Costa
MENSÃO HONROSA ESCOLA
 “Nossa História, Nosso orgulho” - HELEN DE NEZ DE MATTIA  – Colégio Dom Orione 

DEMAIS PARTICIPANTES
1º -“Comemorando o Presente Com Orgulho do Passado” – MÔNICA JULIANA COMIN RODRIGUES DOS SANTOS.
2º - “O Outro” – JADNA DE CÁSSIA RODRIGUES
3º - “Rumo ao Desconhecido” – NAZILDA MARIA NIOTTI
A COORDENAÇÃO.

Presidente Lurdete e Secretária Sissa com foto de Professora homenageada  Madalena Patel

Mesa com as autoridades e neta de Madalena que leu a biografia

Palestrante Prof. Antonio Biz com acadêmicos escritores Ronaldo e Nilso

Medalha dada aos classificados

Aluno classificado da E.E.B.Miguel Lazzarin com Tusa
                  Aniversário de 93 anos de nomeação de Magdalena Queluz
Governador do Estado de santa Catarina, Filipe Schmidt nomeia Magdalena Queluz para o cargo de professora do distrito de Nova Belluno , município de Urussanga , em 14 de junho de 1918

IV Encontro de Violeiros


IV Encontro de Violeiros + Show da Viola + Escolha da Rainha dos 120 anos

Aconteceu no dia 01/07/2011, o evento que faz parte das festividades dos 120 anos de Colonização de Siderópolis. Participaram diversos músicos com a presença do programa Show da Viola com o apresentador Antonio Rosa. Aconteceu também a escolha da Rainha. Se apresentaram 09 candidatas de algumas entidades de Siderópolis.


Kelly, Antonio Rosa e Bruna Bernardino

 A ALASI foi representada por Bruna Brignoli Bernardino, que representou muito bem nossa entidade. Mas a rainha escolhida foi Jéssica Savaris Vesener, que é tataraneta de Marta Rossa Savaris, uma das primeiras colonizadoras da nossa cidade.


Rainha Jéssica Vesener

Mais fotos no Orkut da ALASI.

domingo, 3 de julho de 2011

EVENTO CULTURAL EM JUNHO

Aconteceu nos dias 28 a 30 de junho de 2011, o I Vernissage, com a  participação de 17 artistas com diversas obras, tais como: óleo sobre tela, esculturas em gesso, madeira e ferro. Passaram pela exposição mais de 500 pessoas, sendo que muitos assinaram o livro de presença. Tivemos mais de 100 pessoas no coquetel de abertura, com convidados, artistas e seus familiares, acadêmicos da ALASI e autoridades religiosas, políticas, educacionais e culturais.

Nominata dos artistas participantes


Artistas presentes na abertura

As fotos da exposição estão no orkut da ALASI.





sábado, 11 de junho de 2011

Eventos de Comemoração dos 120 anos de colonização

VII ENCONTRO DOS AMIGOS DE SIDERÓPOLIS
LOCAL: SIDERÓPOLIS/SC
DATA: 15/16/17/18 de julho de 2011

PROGRAMAÇÃO

DIA 15 DE JULHO (Sexta)

18:30 h - Grande Festa Junina organizada pelas entidades sociais de Siderópolis na praça da Matriz no centro da cidade .


DIA 16 DE JULHO (sábado) - Recepção aos amigos de Siderópolis
9:00 às 14:00 h - Local: Tenda na Praça da Matriz

* Cadastro dos participantes do encontro

* Música: Conjunto Trem de Ferro ( samba de Raiz )

* Presença das Rádios Eldorado transmitindo ao vivo


Grupo Trem de Ferro com amigos
12:00 h - ALMOÇO LIVRE –

15:00 h -  JOGO DE FUTEBOL: Atrativos: Itaúna X Treviso
Local: Estádio Engenheiro Mozart Vieira (Campo Itaúna)

19:00 h – Lançamento do livro: Nova Belluno 1891- Siderópolis 1943
Escritor: Nilson Dassi (ALASI) - 19 horas no CSU
Capa do livro

Mesa com as autoridades no lançamento

21:00 h - BAILE TEMÁTICO ( Revivendo os anos Dourados )

* Traje: Esporte chic - Local: Siderópolis Clube
* Recepção: Apresentação de imagens antigas em telão
* Lançamento do DVD – Recordações dos Anos 60/ 70 – PJLee
* Grande noite de confraternização com muita música,dança e clipes dos anos dourados.



Baile: Michele, Deonísio da Silva, Izis e Lurdete
DIA 17 DE JULHO (Domingo)

10:00 h - MISSA DE AÇÃO DE GRAÇAS

* Local: Igreja Matriz de Siderópolis
* Ação: Missa de comemoração dos 120 anos de Colonização do Município

12:00 h – ALMOÇO

Local: Salão Paroquial da Igreja Matriz
Animação: Banda The Dinz
Homenagem: Nilton Fiqueredo (Mudinho)

Lançamento do livro de Ronaldo David
Capa do livro
DIA 18 DE JULHO ( SEGUNDA )
* Dia oficial do aniversário de 120 anos de Colonização do Município

6:00 h - Alvorada com Fogos e badalar dos sinos de todas as igrejas da cidade (bairros e comunidades)

11:30 h – Lançamento do Selo e Carimbo dos 120 anos
Local: Paço Municipal Antonio Feltrin

14:00 h: Homenagem aos colonizadores
Local: Monumento ao Imigrante (Frente ao Colégio Dom Orione)

Noite Comemorativa:

19:00 h – Premiação do 1° Concurso de Crônicas “Madalena Queluz Patel”
Tema: Siderópolis 120 anos de colonização
ALASI (Academia de Letras e Arte de Siderópolis)

20: 00 h - Palestra
Tema: “Siderópolis você nasceu para brilhar - 120 anos”
Palestrante: Professor Antonio Biz


terça-feira, 17 de maio de 2011

HISTÓRIA DA LOGO EM COMEMORAÇÃO DOS 120 ANOS

Logo oficial da prefeitura

A imagem que aparece no logotipo é uma fotografia de uma moldura, em alto relevo, fundida em bronze, e que pode ser vista no Monumento ao Imigrante Italiano localizado em frente ao Colégio Dom Orione - Centro - Siderópolis. Esta obra foi produzida em 1966 e é uma criação do renomado escultor gaúcho Vasco Prado.
Fonte: Nilson Dassi

Monumento em frente ao Colégio Dom orione
Foto do Site da Prefeitura

Dia da Colocação do Monumento em 1966
Foto retirada do Blog Siderópolis





sábado, 14 de maio de 2011

VERNISSAGE

Vernissage é um termo em francês que significa envernizamento, normalmente utilizado para designar a pré-estréia de uma mostra privada que precede a abertura de uma exibição, geralmente de obras de arte.



1º VERNISSAGE DA ALASI

Acontecerá nos dias 29 e 30 de junho de 2011, no Salão Paroquial, o primeiro Vernissage da ALASI, sob a coordenação de Dilma Zuchinalli juntamente com as acadêmicas Carmen Périco, Lenir Cesconetto e Albertina Bonassa. Participarão da exposição com telas, esculturas e outras obras, 15 artistas plásticos, sendo nascidos ou moradores de Siderópolis. Contamos com a presença de todos que valorizam a arte e a produção de nossos artistas plásticos. Prestigie este evento!!!

sábado, 7 de maio de 2011

Poema sobre Siderópolis

SIDERÓPOLIS EM VERSO
Por Janice de Bittencourt Pavan
Siderópolis, terra de gente faceira
Legado de imigrantes italianos
Com vinte e sete famílias há 120 anos
Iniciou-se uma saga altaneira.

Nova Belluno, colônia no início
Nome bonito que rendeu à Comunidade
Homenagem, mérito, auspício
Ao povo, a formação de uma cidade.

Na bagagem esperanças e bugigangas
De Gênova ao Rio, chegaram a SC.
Pela estrada de Ferro D. Teresa Cristina
Depois em carros de boi, até Urussanga.

“Nova Belluno” sugeriu Marta Savaris
Por ter um relevo bem semelhante
Com a cidade da Itália, ela imigrante
Como seu próprio nome assim o diz.

A colônia em glebas de terra trabalhada
Foi aos poucos vendida aos imigrantes
Por seiscentos mil réis significantes
Mais o custo da foice e da enxada.

Mas... Com o tempo o interesse prosperou
Apareceram novas e ricas descobertas
De minérios, grandes reservas de carvão
Provocando uma inevitável exploração

Num período de quarenta anos
A CSN mineradora poderosa
Sustentou esperanças e desenganos
Rendendo polêmica e muita prosa

Na questão da mudança do nome
De Belluno para distrito de Siderópolis
Pois se entendia cidade de siderurgia
Tudo o que havia feito com renome.

Mas... Com o tempo perdeu-se o explorado
Acabara o que as minas exibiam
A agricultura, então, se reanima
Propiciando uma economia variada.

Nos campos crescem o cultivo de bananas
Do café, de hortaliças, do milho, do feijão...
Indústria química, serralherias, metalúrgicas;
De aves e suínos expressiva produção.

Esta terra de gente trabalhadeira
De famílias humildes e religiosas
De mulheres bonitas e faceiras
Com ideais persistentes e estudiosas

Acolheu os imigrantes europeus
Deu chão e  trabalho para  muita  gente
Na agricultura ou na exploração do carvão
Tornou-se cidade finalmente

É uma terra agradável de viver
Tenho testemunho e só me traz saudades
Onde não nasci, mas vivi , fiz amizades
Onde vi onze irmãos e alunos a crescer

No Cine Beluno curtindo matinée
Nas ruas livres de um tempo feliz
No bailes dourados do Recreio e Spolis Clube
Nos domingos de missa na Igreja Matriz...

Com tamanha pureza e tranquilidade
Sem medo de nada, não havia crueldade
Só se assustava com mitos e alma penada
Ou se corria três léguas do “ bicho-papão”

É Siderópolis em versos e  a merecida homenagem
Com um pouco de saudosismo, por que não?
Deixo aqui aos conterrâneos, esta singela mensagem
Parabenizando com desejo de muita paz e união.



Sarau de Inverno - Criciúma/SC

Acadêmicas Lurdete, Carmen, Rosa e Sissa Moroso